Pois bem.

Então quer dizer que todos buscam algum sentido para a vida. Vamos melhorar este termo, um sentido para a existência.

Parece que agora tem um cientista que responde perguntinhas do tipo “de onde viemos?” ou “para onde vamos” em um conhecido programa de TV. Mas ele não responde qual a razão da existência.

A resposta dessa pergunta, simples como é, deve atrair muitos vestibulandos da área de medicina, já que agora provas como da UFPR exigem filosofia. Pois bem. E existe uma técnica de negociação, aliás, talvez a mais primitiva de todas, que consiste em tentar jogar toda a responsabilidade da situação de volta para o outro lado. Com uma resposta tão sintética como a que se segue, não há dúvidas de que o interlocutor utilizou essa técnica.

Qual o sentido da existência humana?

A busca pela felicidade.

Tá, você vai rir depois de tal resposta. Tão singela, tão modesta, tão simples e… tão verdadeira. Mas é bom deixar claro: a felicidade não é como um objeto que foge e você tem de correr incessantemente para alcançá-la; aí suas pernas começam a se cansar, você começa a ficar sem fôlego, produz ácido lático, e não consegue acompanhá-la.

Felicidade...?Não, não, longe disso. Obviamente, depois disto uma boa idéia é saber o quê, afinal, é felicidade. O que é? Isso já é outra história. Mas um bom começo pra registro nos autos é saber que felicidade é beeeeem diferente de prazer. Você pode bem ficar sua vida inteira correndo atrás deste, mas nunca alcançar essa.

(CONTINUA…)

P.S.: Aliás, quer saber? Acho que vou parar de escrever esse blog e começar a editar livros de auto-ajuda! Assim vou ficar milhonário dando respostas a todas as perguntas da humanidade.