O primeiro teste vocacional que eu fiz foi há bastante tempo, eu devia ter uns 15 anos. Desde as primeiras vezes em que tomei contato com esses tipos de “teste” ou com psicólogos visando “ampliar a nossa visão de mundo”, já notei que essas coisas não levavam a lugar algum. Os testes eram demasiadamente vagos. Nada contra os psicólogos, mas realmente não foram nada eficientes em me orientar profissionalmente. Não sei se esse tipo de avaliação vocacional que é pouco produtivo ou se sou eu que exijo demais, mas até hoje tenho muitas dúvidas sobre tudo isso.

Deve ser ironia do destino, mas, quando eu lia um texto no IDGNow que não devia ler (eu devia estar estudando), encontrei um site, o último da lista, chamado Ikwa. Quando entrei nele, assisti a dois vídeos descrevendo o site, que me pareceu muito bom. Solicitei um convite e o recebi no dia 31 de outubro.

A idéia do Ikwa é genial, apesar de ainda estar no começo e ter muitas deficiências. Quando adquirir mais maturidade, provavelmente será um site sensacional para as centenas de milhares de vestibulandos que passam todos os anos pela tortura psicológica. A proposta do Ikwa é responder a dúvida existencial e profissional que todos temos: o que eu vou fazer da minha vida?

Para fazer isso, conta com uma série de ferramentas. Os bioclipes (vídeos com entrevistas a profissionais de cada área), sem dúvida, são a mais importante delas. Entende-se quais são as intenções do Ikwa quando se vê o Hall da Fama dos entrevistados: Miguel Nicolelis, Dráuzio Varella, Marcelo Gleiser e Mayana Zatz (a maior cientista brasileira da atualidade). Ver um profissional apaixonado pela carreira dando o seu depoimento é o maior incentivo a seguir ou não esse rumo.

Bioclipe do Dráuzio Varella (Ikwa)

O Ikwa também conta com muitas outras ferramentas de apoio e tenta integrar a gigantesca quantidade de informação dispersa pela internet (e fora dela) sobre universidades, cursos, profissões e mercado de trabalho (tem um link ainda inativo que tratará de oportunidades de emprego, imagino). Também tem o que chamaram de o Orkut profissional, ou seja, a parte de contatos e relacionamentos dentro do site.

Árvore das profissões do Ikwa

(clique para ampliar) Esta é uma ferramenta interessante, algo como uma árvore do conhecimento e das profissões. É bem apresentada, mas de tanta coisa que tem perde-se a noção de onde é o começo e de onde é o fim (não que isso seja culpa do Ikwa).

Em resumo, a intenção do Ikwa não é apenas responder a pergunta-título deste post, a proposta é fazer um trabalho de longo prazo. Ou seja, o jovem de 15 anos acessa para começar a explorar o futuro, para que não deixe pra última hora. Respondendo ou pelo menos direcionando um pouco este adolescente, no terceiro colegial ou no cursinho ele terá de decidir onde, em que Universidade, o que é oferecido no curso e mais coisas. Quando estiver lá dentro, ele talvez queira uma bolsa de iniciação científica, ou queira se programar para fazer um mestrado no exterior ou simplesmente busque um estágio. Concluído o curso e já no mercado de trabalho, talvez antes dos trinta essa pessoa tente mudar um pouco os rumos da carreira, conseguir uma especialização em um ramo parecido, coisas do tipo. O Ikwa pretende abocanhar todo esse espaço num futuro não muito distante…

Para entrar, você pode solicitar um convite no site ou pedir pra alguém que esteja lá dentro lhe enviar um convite. O Ikwa ainda está em Beta e por isso muitas coisas ainda não estão funcionando ou estão engatinhando.

Anúncios