Não há qualquer dúvida sobre a natureza dos acontecimentos desta sexta-feira.

Estudantes grevistas agrediram estudantes da USP que se dispersavam de uma manifestação absolutamente pacífica, contrária à greve. A agressão foi VIOLENTA e UNILATERAL. Lançaram paus e pedras e deram chutes e socos em vários alunos que se retiravam, tentando evitar confusão.

Isso está bem documentado. Um exemplo é o vídeo abaixo, em que o estudante senta no chão e não reage, sendo agredido aos socos e pontapés.

O que se nota de concreto é o seguinte.

Há mais de dez anos, partidos de extrema esquerda e estudantes mais radicais tomam conta do DCE (que diz representar o momvimento estudantil), do SINTUSP e da ADUSP. Isto é fato. Essas minorias tem se radicalizado cada vez mais, ignoram os temas mais relevantes da Universidade (ensino, pesquisa e extensão), criam pautas intermináveis depois de já terem aprovado suas greves bienais. Fecham unidades da USP e reagem violentamente a qualquer movimento que não concorde plenamente com suas “causas”.

Não há dúvidas. Eles querem PODER.

Eu quero que a Universidade de São Paulo se ocupe da sua função. No momento em que eles quiserem discutir isso civilizadamente, eu serei o primeiro a defendê-la – a discussão, frise-se. Mas enquanto se afundam em sua veia violenta e criminosa, são apenas bandidos.

Só resta uma coisa.

INDIGNAÇÃO.